Três segredos para elevar a sua performance no esporte

Uma coisa é chegar ao topo de uma montanha. Outra coisa é ficar lá por um longo tempo, independente do clima. Serena Williams, Tom Brady, Lebron James e Diana Taurasi são exemplos notáveis e atuais ​​de esportistas de elite. Eles subiram a grandes alturas, conseguiram elevar a performance de alguma forma, e conseguiram ficar lá.

Ao contrário desses gigantes, você pode não ser o melhor do mundo no que faz. Mas a verdade é que você não precisa ser. Após anos de pesquisa, a melhor definição que eu propus para o desempenho máximo é expressar todo o seu potencial de maneira sustentável – e se sentir bem enquanto você o faz. Em outras palavras, o desempenho máximo é um jogo interno. E isso pode ser alcançado por qualquer pessoa, isso significa ganhar Super Bowls e Grand Slams ou terminar uma corrida de 5K. É sobre tirar o melhor proveito de si mesmo, repetidamente.

Embora alcançar esse estado resulte de uma soma de fatores, existem algumas práticas essenciais necessárias para o desempenho máximo em praticamente qualquer empreendimento. Todos são simples. No entanto, nenhum é fácil.

Saiba como começar

Em seu livro Turning Pro: Tap Your Inner Power and Create Your Life’s Work, o autor best-seller Steven Pressfield escreve: “O profissional não espera por inspiração; ele age antecipando isso”. O desempenho máximo é, na verdade, uma prática contínua. Ou, como Pressfield escreve: “É o exercício diário dedicado de comprometimento, vontade e intenção focada”.

Embora possa ser útil projetar seu ambiente e desenvolver rotinas que ajudem a elevar a sua performance, tudo depende de você. Infelizmente, não existe um programa elaborado que o ajude. Sem chá, loção, poção ou pílula especial. Você apenas tem que fazer isso. Todo dia. Um equívoco comum é que você precisa estar de bom humor ou se sentir motivado para seguir em frente. Mas acontece que, em muitos casos, o oposto é verdadeiro. O humor segue a ação.

“As emoções vêm e vão”, diz Rich Roll, atleta de endurance e apresentador de podcast. “Às vezes é melhor não combater um sentimento de tristeza, mas apenas aceitá-lo.” No entanto, Roll diz que isso não significa que você precise ceder a essas emoções negativas. “Se estou me sentindo triste, me forço a mover meu corpo, mesmo que só um pouquinho. Isso ajuda a mudar minha perspectiva e redefinir meu sistema operacional – e mais frequentemente, o sol começa a brilhar novamente.”

Em termos científicos, Roll está descrevendo a ativação comportamental. Nosso cérebro adora nos proteger da ansiedade, do medo e do fracasso, por isso envia fortes mensagens emocionais nos dizendo para permanecermos no lugar. A melhor maneira de mudar esses sentimentos é muitas vezes simplesmente começar a agir. “A capacidade de superar a resistência, a auto sabotagem e a dúvida é muito mais importante que o talento”, escreve Pressfield.

Saiba como continuar

Quem já perseguiu um grande objetivo sabe que há momentos em que é realmente difícil continuar. Fadiga, tédio e medo do fracasso são todos obstáculos comuns. É muito mais fácil superar esses obstáculos quando você não está sozinho. Pesquisas mostram que fazer parte de uma comunidade reforça a motivação e cria um senso de responsabilidade. Quando você cai, outros estão lá para buscá-lo.

Além da comunidade, lembrar por que você está fazendo o que está fazendo pode ajudá-lo a persistir, especialmente durante períodos de baixa energia. Estudos mostram que indivíduos com um forte senso de propósito têm menos probabilidade de se desgastar. Propósito e comunidade trabalham de mãos dadas: muitos de nós obtêm significado de nossa comunidade e, quando nosso senso de propósito está oscilando, nossa comunidade está lá para nos apoiar e sustentar.

Saber parar

O paradoxo de treinar duro é que é ótimo até que não seja mais. Quando ultrapassamos limites da força, lesões, tanto físicas quanto emocionais, tendem a surgir. É importante lembrar que o caminho para qualquer objetivo a longo prazo requer períodos de estresse e descanso. Independentemente do empreendimento, o progresso a longo prazo se refere menos aos esforços heroicos e mais ao ritmo inteligente.

O técnico de corrida Mario Fraioli me disse muitas vezes que uma das coisas mais importantes que ele tenta se comunicar com seus atletas é “pare por um momento”. Embora possa ser tentador continuar forçando o seu corpo, ele diz: “Você quer ser capaz para continuar de onde parou, o que significa que você não pode se acabar em todos os exercícios.”

Em primeiro lugar, saber como começar e seguir em frente pode parecer contraditório com saber parar. E, no entanto, parece que o que dá origem ao desempenho máximo está transformando essas habilidades aparentemente opostas em um ciclo contínuo. Infelizmente, ainda não encontrei uma ‘bala de prata’ para elevar a performance. Mas sua melhor aposta é tratar seu próprio caminho de desempenho como um experimento, prestando muita atenção ao seu corpo e mente e se ajustando à medida que avança.

(Fonte: Go Outside)


Veja alguns esportes para você praticar na praia e suar a camisa durante o verão

Durante o verão - especialmente o período de férias - muita gente gosta de juntar a família e/ou amigos e ir à praia. Passar o dia com o pé na areia, de vez em quando entrar no mar, conversar bastante, tomar sorvete, água de coco, cerveja e praticar um esporte. Isso mesmo, praticar um esporte! Se manter em forma é muito importante, e também pode ser bastante prazeroso. Basta você achar o que mais te agrada.

Não é porque você está na praia e de férias que você pode meter (totalmente) o pé na Jacá, isso não é nada bom para sua saúde e você com certeza irá sentir as consequências disso em um futuro próximo. Vale lembrar também, que no Brasil o verão é no começo do ano, ou seja, aproveite esse período para já começar a colocar em prática as promessas feitas para esse ano (e talvez até as que você não cumpriu no ano anterior) com relação a sua forma física.

1. Frescobol

Frescobol é um esporte de aprendizado rápido e muito divertido para se praticar na areia da praia

Um clássico das praias brasileiras. Impossível andar por qualquer cidade litorânea sem se deparar com pessoas jogando o famoso frescobol. Você sabia que ele foi criado em meados de 1950 em Copacabana? Além de só precisar de duas raquetes e uma bolinha - que são muito fáceis de ser encontradas -, no frescobol é mais importante a cooperação do que a competitividade: o objetivo é não deixar a bolinha cair, e para isso sua tarefa é facilitar ao máximo a rebatida do seu companheiro.

2. Frisbee

A maior vantagem do Frisbee é que qualquer um pode praticar: adultos, crianças, idosos, cachorros

Um dos esportes mais fáceis de se jogar (e que com o tempo e prática vão ficando cada vez mais divertido). Basta um disco achatado que consiga plainar por aí e o resto é diversão pura. Foi criado na California em 1938, mas virou febre mesmo aproximadamente 20 anos depois. É possível jogar em grupo, em dupla, sozinho ou até com um cachorro!

3. Stand Up Paddle

No Stand Up, além de se exercitar você pode aproveitar para observar a paisagem

Um esporte que fica mais popular a cada verão. Muita gente começou a praticá-lo nos últimos anos e os adeptos só aumentam. É uma mistura de remo com surfe. Os equipamentos não são tão simples, você precisará de uma prancha grande, que aguente o peso do seu corpo sem afundar e um remo. Aí é só sair por aí remando e desbravando os mares. Uma dica: no começo não é muito fácil ficar em pé, portanto treine bastante de joelhos. E também é sempre bom alertar para não ir muito fundo, especialmente se você estiver sozinho e sem os equipamentos de segurança adequados.

4. Vôlei de praia

O vôlei de praia ajuda muito a melhorar a coordenação motora, os reflexos, a capacidade cardiorespiratória e muito mais

O vôlei de praia é um esporte olímpico, e por sinal, o Brasil tem uma bela tradição nele: são 13 medalhas no total. A popularidade dele subiu muito após sua entrada na olimpíadas. As regras são bem semelhantes ao do vôlei de quadra. Um ponto interssante é que não precisa de uma rede para jogar - lógico que fica mais divertido e desafiador - mas brincar de toquinho com uma roda de amigos também pode ser bem prazeroso e queimar algumas calorias.

5. Futebol na areia

Tanto a famosa altinha como o futebol mesmo - com gol e espaço demarcado - são esportes que melhoram muito o condicionamento físico

Brasileiro consegue jogar futebol em qualquer lugar, basta ter companhia e uma bola. O futebol na areia é outro esporte que o Brasil é especialista: são mais de 70 títulos, sendo 14 deles da Copa do Mundo e outros 14 do mundialito, os torneios mais importantes do esporte bem usual nas praias brasileiras. É muito divertido e ótimo para melhorar o condicionamento físico. Esse esporte é extremamente típico do verão brasileiro.

6. Skimboard / Sonrisal

O skimboard também é conhecido como Sonrisal por conta do formato de sua prancha

Lembra bastante o surfe, mas possui algumas diferenças: a prancha é menor, mais arredondada e não possui quilha e é praticado na parte mais rasa do mar. A essência do esporte é sair correndo com a prancha na mão, deslizar ela na água e pular em cima - semelhante ao skate. Uma grande vantagem do sonrisal (que leva esse nome por sua prancha parecer uma pastilha) é que você não irá se afogar e nem precisa de onda para praticá-lo, porém, se cair, não terá o impacto absorvido pela água.

7. Slackline

O slackline é muito popular em parques pelo Brasil, mas também pode ser praticado nas praias

Um esporte que virou febre nos últimos meses. Em muitos parques do Brasil as pessoas estão praticando o slackline. Mas o que nem todo mundo sabe é que ele foi criado em meados dos anos 80, nos EUA, por escaladores que treinavam seu equilíbrio andando sobre uma fita. Depois de quase 4 décadas, o slackline é praticado em muitos lugares, inclusive na praia. Basta prender a fita em dois lugares bem firmes - normalmente tronco de árvore - e sair andando. No começo é muito complicado de se manter equilibrado, mas até o final do verão você com certeza estará craque nessa prática.

8. Beach Tennis

Assim como futebol e vôlei, o tênis também possui sua versão na praia

Uma mescla de tênis com frecobol. A rede fica mais alta que a do tênis convencional e um pouco mais baixa que a do vôlei de praia. Pode ser jogado tanto individualmente (um contra um) como em duplas. Um esporte que exige muito fisicamente, isso porque se movimentar bastante na areia em baixo de um sol escaldante do verão não é das tarefas mais simples.

9. Esqui aquático

Apesar de mais comum em lagos, também é possível praticar o esqui aquático em mares

Um esporte muito divertido e refrescante. Além de render várias risadas, melhora muito seu condicionamento físico, e exercita bastante os membros inferiores. As opções são as mais diversas: wakeboard (foto), kneeboard, mono, dois pés, barefoot e outras. Não é muito fácil de praticar pois precisa de alguém dirigindo uma lancha, barco ou jet ski para puxar a pessoa que esquiará. Há também a opção de Cable Ski, em São Paulo o mais conhecido é o Naga Cable Park - clique aqui para conhecer mais sobre esse parque de Wakeboard. Pode ser praticado tanto em lagos como em mares mais calmos.

10. Surfe

Com a Brasilian Storm, a popularidade do surfe cresceu consideravelmente no Brasil

Apesar de não ser extremamente popular no Brasil, somos um país muito bom no esporte e possímos vários atletas entre os melhores do mundo. A chamada brazilian storm é a tempestade de brasileiros que chegou disputando o título mundial de surfe: Gabriel Medina, Adriano Mineirinho, Felipe Toledo e outros. Com ela, muitos jovens resolveram entrar na onda e ir à praia se aventurar no mar, não só durante o verão, mas também durante o inverno. Tudo que você irá precisar é uma prancha, boas ondas e um bom equilíbrio (que irá melhorar muito com o tempo).

(Fonte: Area H)


Pão de banana fit

pao-de-banana-fit

- INGREDIENTES

•             4 bananas maduras amassadas;
•             2 xícaras de farinha de arroz;
•             2 colheres de café de fermento para pães;
•             1 colher de café de sal;
•             2 colheres de café de canela;
•             1/2 xícara de adoçante;
•             1/4 de xícara de óleo de coco;
•             2 ovos em temperatura ambiente;
•             1/4 de xícara de água filtrada.
 
- MODO DE PREPARO
Acenda o forno em temperatura baixa. Enquanto isso em uma vasilha misture 1/4 de xícara de água quente e em seguida incorpore o fermento, mexa bem até diluir. Então adicione os ovos em uma outra tigela e bata com um fouet até ficar espumoso. Nessa mistura incorpore adoçante, bananas amassadas, óleo e misture bem. Em uma tigela a parte coloque os ingredientes secos (farinha de arroz, sal e canela). Despeje o fermento diluído e depois a mistura úmida, incorporando com cuidado, até que a massa fica elástica. Deixe descansar por 15 minutos tampado. Despeje em uma forma de pão inglesa untada ou de silicone e leve ao forno por 35 minutos ou até dourar. Espere esfriar e sirva.
 
Um Beijo e Ótimo Fim de Semana!

Alongamento na corrida e na caminhada: antes ou depois?

Alongar-previne-lesões

Na hora de iniciar uma atividade física, muitas pessoas ficam na dúvida se devem alongar antes ou depois de realizar a corrida/caminhada. E de fato, essa dúvida ronda a cabeça porque não existe um consenso e muitos ainda confundem alongamento com aquecimento.

Eu, por exemplo, acredito que não haja necessidade extrema de realizar o alongamento antes da atividade física. Mas ressalto que alongamentos leves, aqueles que simplesmente ajudam a sentir a musculatura mais relaxada, costuma trazer benefícios. Principalmente, em corredores de provas longas, como maratonas, por exemplo.

Importância de alongar
Tecnicamente, ele é o afastamento de um ponto do músculo em relação ao outro (origem e inserção). Ou seja, é quando momentaneamente aumentamos o tamanho do músculo que está sendo alongado.

Isso acontece devido ao estiramento que provocamos e, por isso, ajuda a evitar a fadiga tardia. Outro ponto importante é que com a musculatura relaxada, a probabilidade de haver compensações na mecânica da corrida são menores.

Já após a prática dos exercícios físicos, o alongamento auxilia no relaxamento muscular, podendo gerar bem-estar. Afinal, iremos manter os músculos bem alongados, auxiliando na boa manutenção da mobilidade do corpo e principalmente no gesto esportivo da corrida.

Existem diferentes tipos de alongamento, mas o alongamento estático acaba sendo o mais conhecido e mais praticado. Podemos destacar o alongamento do panturrilha (batata da perna), relaxando-a na beira de um degrau.

Também sugiro puxar a perna para trás, dobrando o joelho de modo a levar o calcanhar até o glúteo e, por fim, com a perna esticada em algum apoio, dobrar o tronco para frente, esticando a parte posterior da perna.

Além disso, é importante destacar que, durante a fase de treinos, é importante ter um espaço para o trabalho de alongamento e exercícios de mobilidade como forma de prevenção. Afinal, alongamento é diferente de aquecimento e ambos precisam ser executados com qualidade.

Já após a prática dos exercícios físicos, o alongamento auxilia no relaxamento muscular, podendo gerar bem-estar. Afinal, iremos manter os músculos bem alongados, auxiliando na boa manutenção da mobilidade do corpo e principalmente no gesto esportivo da corrida.

(Fonte:Minha Vida)